segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Bike Sampa - testando

Não sei vocês, mas eu, quando volto de viagem, fico falando mal de tudo por aqui, ehehehe. Que é tudo muito caro, que comer em NY é mais barato que em SP, que o metrô desta cidade é ridículo, que ninguém respeita o trânsito, e blá blá blá... Insuportável eu. Outro dia passamos perto de uma dessas coisinhas de bicicletas do Itaú e eu disse pro Ju: "a gente bem que podia testar. Se fosse em outra cidade, já teríamos feito". Aí ontem ele lembrou "vamos andar de bicicleta na Paulista?" Uia.
Nós temos uma bici, sempre que andamos juntos (nos parques), um vai com ela (eu) e o outro com patins (ele). Resolvemos testar a tal da bicicleta laranjinha. Não é que funciona?

Estação 21 - Trianon


Tudo simples: baixa o aplicativo Bike Sampa, faz a habillitação do seu passe preenchendo seus dados AND cartão de crédito e pronto. Depois vai até um estação das bicicletas e pegue uma emprestada. São mooooitas na região da Paulista, mas infelizmente não tem na cidade toda, incluindo perto da minha casa (que, aliás, é super central - casa verde - o bairro da novela. rá!).

Andar de bicicleta, tranquilamente, na avenida Paulista: dream coming true.
Adoro pedalar na rua e adoro essa rua.

Ó, acabei de achar um moço que explica tudo melhor que eu.
E esse site aqui também tem tudo o que você precisa saber pra pedalar nas laranjas.



Ainda achei esse ciclista leeendo dando sopa na ciclofaixa. Levei pra casa.


Uma coisa bacana: a primeira meia hora de pedalada é gratuita, depois rola uma tarifa (cincão cada meia hora). Se quiser andar mais meia hora de graça, tem que dar um intervalo de 15 minutos. Ou seja, se você vai se locomover em uma região que tenham, pelo menos, duas estações de bikes (uma pra pegar e outra pra devolver, já que elas são conectadas) e seu trajeto for de, no máximo, meia hora, dá pra fazer isso de graça. Acho muito cool.

Uma coisa nada bacana: mesmo sendo quase 100 estações (ou um pouquinho mais), ainda não tem estações em todos os lugares da cidade, então usar a bike como meio de transporte é um pouco mais dificil. Se for pra passear, ok, tranquilo. Mas aí tem que ir de transporte público ou carro e acaba com a ideia sustentável da coisa toda. Outra coisa nada bacana é que a cidade ainda não está preparada para acomodar tanto ciclista. Sad but true. Um dia a gente chega lá. Inclusive poderia chegar por iniciativa pública e não privada, néam? Oremos.



Vão pedalar e me convidem (nada mais justo)

Beijo!




4 comentários:

  1. Tava dando uma bizoiada por aqui depois de uma temporada, você sabe onde. E lá tem esse mesmo esquema de pegar bike e tals. Mas é em todo lugar, em todo parque, em cada esquina. O mais triste é que ainda não sei andar. Pobre de mim. E sou igual você. Voltei de Londres, e eu metendo o pau em SP. Na verdade, fiquei deprimida e triste em finalmente ver como nosso país precisa rebolar muito pra chegar em algum lugar. Rebolar definitivamente, porque essa é a imagem da mulher brasileira lá fora. E vai ser duro tirar essa ideia da mente gringa. Bjo!

    ResponderExcluir