sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Barcelona - Dia 05

Opa.

Este foi um dia daqueles. Tão, tão, tão, tãaaao legal! Por isso a quantidade de fotos. E olha que eu editei, hein. Senão esse post seria sem fim. Fizemos o roteiro da Barcelona antiga pelo Bairro Gótico.  Esse foi um dos dias mais incríveis da viagem. O caso é o seguinte: você começa o roteiro pela praça mais movimentada da cidade e, entrando numa viela, passando por uma porta (de verdade, não é força de expressão), começa um lado da cidade que eu sequer imaginava que existia. A sensação que tive foi de entrar em Nárnia. Nunca imaginei que, atrás da Plaza de Catalunya, com aquele movimento todo, teria um bairro cheio de história e de ruas que mais parecem um mega labirinto. Sensacional.  Agora vou falar pra todo mundo: se vai passar um único dia em Barcelona, visite a Sagrada Família e o Bairro Gótico. O resto é lucro. Amei.

Todos os cafés da manhã foram em lugares diferentes. Sempre animado.

De novo, fomos de Passaporte BCN na mão. É claro que é ótimo se perder, sem roteiro. Mas quando se tem 7 dias na cidade e quer ver tudo, precisa profissionalizar. Esse roteiro, por exemplo, cobre todos os cantinhos relevantes deste bairro (muitos não tem foto aqui, mas estão explicadinhos lá no Passaporte), sem "perder" tempo, vimos tudo e deu muito certo.



Pirei com essas ruas. Parecem desertar, mas são cheias de lojinhas, cafezinhos, sorveterias, tudo muito cool. 






Não vou explicar todos os prédios, não. Sugiro a leitura do roteiro lá que é muuuito mais eficiente. Muitas fotos minhas estão iguais aos do site, hehehehe, foi irresistível. Mas as de lá não tem Nalu. Rá!
Aqui é a Catedral de Barcelona. Muito muito incrível.





 E aí você anda e anda pelas ruazinhas e, de repente, sai numa pracinha assim, com um café, um restaurante ou outra coisa fofa. Olha, muito difícil não gostar dessa cidade.

                      
Outro lugar que só quem sabe o que está fazendo daria atenção (eu nunca descobriria sozinha). Passando por essa entrada pequenininha (à esquerda), você chega no que restou do Templo de Augusto, na Barcelona romana. Olha... vou te contar...

 Neste momento, em frente as colunas de Augusto, a menina grita: "Papai, papai, me salve, tô plesa!".
O povo do snapchat é testemunha.

 malcriado.


Tenho moooitas fotos desse bairro, mas a ideia aqui é selecionar, senão uploadO tudo.
Pausa para o almoço de quem ganhou um carrinho novo neste dia (a fofa da Iberia perdeu o nosso - outra história) e se comportou mucho bién (tanto que ganhou uma Rapunzel espanholita)





Minha próxima tatuagem será "tapas y sangria". Vou viver só disso agora.

Depois do almoço, pegamos o metrô para o Park Guell. Não tô dizendo que esse dia foi perfeito? Perfeito. Esse parque era outro lugar com o qual eu sonhava. Acho a história o máximo (era pra ser  a área comum de um condomínio residencial fechado, COM TUDO AQUILO LÁ DENTRO, mas ninguém se interessou em construir casas e deu no que deu) e sempre vi fotos deslumbrantes de lá. O lugar é MESMO uma filial do paraíso. Como já disse, não imagino a substância que o cidadão fuma/cheia pra pensar naquilo. Fiquei pensando como seria morar ali. Não precisaria mais sair, pra nada. 

Mas como o ingresso pro Guell tem hora marcada (hora pra entrar, mas não pra sair), tivemos que fazer uma horinha e matamos  o tempo assim:




   






Aquelas colunas na foto acima viraram um ótimo espaço pra pega-pega-esconde-esconde.
Descupaí, Gaudì, mas tem que ter umas trocas com a garota de 3 anos supercompanheira de viagem.




direto do snapchat do marido (add: jctvieira)


 



 



Essa é a entrada do Parque que, para quem visita, virou saída. Imagina morar aí. 
Afê.

E passava das 8h da noite. 

Beijo!


0 comentários:

Postar um comentário