quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Barcelona - Dia 07

A melhor coisa que fizemos nesta viagem foi escolher ficar por sete dias em cada cidade. Tinhamos pensado em outras opções (mais países, mais cidades), mas com a Nalu maiorzinha (dizem que quanto maior, pior, heheh), a gente sem saber se daria pra fazer todo o planejado, escolhemos conhecer BEM as duas cidades, sem pressa. E foi mesmo a melhor coisa. Só assim, conseguimos conhecer praticamente a cidade toda (turisticamente falando, óbvio) e ainda passar um dia todo num parque de diversões. Um parque, aliás, muito diferente, ao lado de uma igreja linda, no alto da montanha, com a vista do ponto mais alto da cidade. Sensacional. E chegar até lá em cima já é super passeio. Primeiro um bonde de 1901 (!), depois um funicular que sobe sobe sobe sobe sobe atéeeee a China. E lá em cima, a cidade toda.




Antes de começar a brincadeira no parque, subi (sozinha - os dois arregaram) atéeeee aquele Cristo. Vendo de baixo, eu nem sabia que poderia chegar até lá, mas olha, que subida, viu.




Aqui é a metade do caminho ainda.


Aqui não é o ponto mais alto, percebam.

 Agora, sim.






Duas fotos de dentro do Carrossel.

 E da Roda-Gigante.

Essas são aquelas fotos #imaginaNaDisney
Ela pirou com esses bonequinhos.


 



 \



 Foi um dia muito bacana. Ficamos felizes por ter levado a Nalu a um lugar que ela gostou tanto.

E ainda teve La Pedrera no fim do dia.
Com a Nalu cansadíssima do parque, papai foi pro hotel com ela enquanto mamãe fez a visita noturna da Casa. E olha, AINDA BEM que eu fui. Que noite incrível!









 
Sai de lá quase meia-noite com a certeza de que Barcelona é uma cidade encantadora e apaixonante. Não tem como passar incólume.

O próximo post já é de Madri.

 Beijo!












terça-feira, 18 de agosto de 2015

Barcelona - Dia 6

E como a gente ama um parque, hoje teve mais um. 
O Parc de la Ciutadella é o mais antigo e tem cara de parque preferido da cidade. Acho que li isso em algum lugar e concordei. Além de lindo, é super tranquilo e não estava chefio de turista. A gente se preparou pra ficar a manhã inteira lá, mas começamos nosso passeio por outro monumento que fica pertinho do parque: o Arco do Triunfo.

 





A entrada do parque fica no final dessa alameda linda, cheia de luminárias modernistas. Assim que chegamos no Ciutadella, a primeira coisa que vimos foi um parquinho. Como Nalu não resiste a um escorregador, foi nossa primeira parada. Aliás, sempre que encontramos parquinhos pelos roteiros, deixamos ela brincar um pouco. A menina foi tão parceira que merecia.





Essa fonte é maravilhosa. A gente tem umas 300 fotos só dela.


   
Outra coisa que a gente tinha que parar sempre que via eram esses trabalhadores de bolinha de sabão. Encontramos uns 4 e Nalu brincou com todos.


Pertinho do Parc, tem o Centro Cultural Mercat del Born.

Essa prédio lindo deveria ser uma biblioteca, mas durante a reforma (2002) foram encontrados restos arqueológicos do período medieval e aí desistiram da biblioteca pra subir o Centro Cultural, que foi erguido em volta desses sítios. Bem bacana.

O mais gostoso de Barcelona é isso: você anda, anda, anda, visita, visita, visita, conhece, conhece, conhece. No meio de tudo, aparece umas pracinhas assim, que dá vontade de ficar, pra sempre.

O passeio continuou na cidade velha. Muita coisa.




Estas três últimas fotos, apesar de ser do mesmo roteiro, não são lugares muito próximos, o que significa que andamos muuuuito. O que foi sempre muito legal. É assim que a gente adora conhecer tudo, andando, se perdendo, se achando. Eu podia morrer turista.

E aí a manhã termina no Palau de la Musica Catalana.

Um prédio cuja beleza  nenhuma das minhas fotos consegue alcançar porque ele fica numa daquelas ruazinhas que não passam dois carros, hehehe. Achei muito curioso esse prédio tão lindo estar num lugar tão escondido. Sugiro que vocês googlem umas imagens pra verem do que eu estou falando.

Almoçamos em frente ao Palau, num dos lugares mais gostosinhos que comemos em Barcelona. Chama Tosca Tapas y Vino. E tem as tapas mais deliciosas de que consigo lembrar. Sem contar a sangria. Aiiii saudade que me mata.

Lá vem ela:

Tive que voltar.
Como a entradinha foi rápida dessa vez, deu pra ficar muuuOito tempo do lado de fora, tentando entender qual era a do Gaudì. Não consegui, hehehe.
Mas veja você, reflita comigo: isso aí não tá nem metade pronta. Ok, metade tá. Mas falta um tanto gigantesco ainda. Neste dia, que já tinha passado o deslumbramento da primeira visita, pude analisar com mais frieza (hehehe). Isso vai subir num TANTO ainda. Imagina.





Entramos na cripta.
Foi lindo.


Mais linda que a Sagrada Família!

Agora ela pede a câmera. "Deixa eu tilá uma foto". Não aguenta nem com as duas pernas, imagina com a câmera. Mas pede, segura, enquadra, aperta o botão. Vou fazer um post só das fotos dela. 

No outro dia brincamos no parquinho de lá, neste dia foi no parquinho de cá. Eu, particularmente, acho incrível uma foto dessa. Minha filha brincando num parquinho em frente a Sagrada Família. Sério, acho o máximo.


Fofinha.

Uma certa hora do dia, ela pedia: "mamãe, vamos voltar pra nossa casa da barcelona?"
E eu respondia: "só quando ficar de noite", heheheh. Tadinha.

Beijo!